A importância da técnica da corrida na perfomance do corredor

A técnica na corrida é algo menosprezada pela maioria dos corredores, que ignoram que saber correr bem é sinónimo de melhor perfomance. O nosso especialista, Belino Coelho, diretor técnico da Elite Assessoria Esportiva, do Brasil, responsável pelo treino e orientação de mais de 150 atletas, apresenta em dois artigos a importância deste item na modalidade (o segundo será publicado amanhã, quinta-feira).

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

Nem todo atleta gosta de dedicar alguns preciosos minutos para a prática dos exercícios técnicos voltados para a corrida antes do treino principal. Conhecido no Brasil como “educativos”, eles devem ser trabalhados em maior ênfase pelos atletas iniciantes, independentemente de idade.

Todavia, os atletas com maior experiência que já apresentam uma boa técnica devem continuar com esse trabalho educativo, embora com uma menor ênfase, de modo a manter a condição adquirida (o facto de não o mais praticar fará com que a condição técnica diminua com o passar do tempo).

Os educativos têm por objetivo melhorar os seguintes aspetos:

  • A condição neuro-motora, o que tornará mais rápido o processo de sinapse (estímulo-resposta). Esse mecanismo fará com que os movimentos da corrida sejam executados, mesmo com uma maior velocidade, de forma coordenada, com mais eficiência e economia de energia
  • A postura durante a corrida (pode, inclusive, apontar quais músculos devem ser fortalecidos na musculação)
  • A resistência e fortalecimento dos músculos envolvidos na corrida.

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de tema que gostaria que fosse abordado? Escreva para o endereço belino.coelho@eliteesportiva.com.br ou telefone para o número +55 11 5518-3409.

  • Este texto é escrito em português do Brasil
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos