Tiago Cantante Romão ainda recorda o Mundial de Trail

Tiago Cantante Romão foi o responsável por “fechar” a classificação de Portugal no Mundial de Trail, algo que jamais tinha imaginado, ainda mais devido aos problemas físicos que teve na prova. 

 

Depois dos Mundiais de Orientação, Tiago Romão fez a sua estreia num Mundial de Trail, concretamente no Trail Sacred Forests, no Parque Nazionale delle Foreste Casentinesi, em Itália. Cerca de três semanas depois, as recordações da sua corrida ainda estão frescas na sua memória, principalmente o momento da chegada à meta, em Badia Prataglia, «depois de todas as dificuldades antes e especialmente durante a prova», confessou à revista 100% Corrida.

«O terminar a prova foi realmente um momento muito único, especialmente quando prontamente fui abraçado pelo Luís Duarte e pelo Hélio Fumo, mas também recebido com muita alegria e entusiasmo pela equipa técnica, pela minha família e pela minha namorada

Tiago Cantante Romão acarinhado no término do Mundial de Trail
Tiago Cantante Romão recebe o carinho dos presentes após o término do Mundial de Trail

Abraços e beijos de vitória, de missão cumprida, principalmente porque Tiago Romão esteve muito próximo de abandonar a corrida, já que durante toda a prova sentiu dores, mais fortes nas descidas. Mas o seu brio falou mais forte:

«Representar o país é para mim uma das maiores ambições e ao mesmo tempo responsabilidades que um atleta pode ter», garante.

Tiago Cantante Romão acredita
que a cultura desportiva em Portugal
ainda é escassa

Na entrevista à 100% Corrida, o português aborda ao pormenor a sua prova, os complicados momentos que viveu ao longo dos cerca de 50 km. Mas Tiago Romão fala também de outros assuntos, como a prestação da seleção nacional, a diferença para os Mundiais de Orientação, o que ambiciona para a sua carreira, etc.

Apesar de ser novo na modalidade, a verdade é que Tiago Romão é hoje uma mais valia para o Trail nacional, principalmente por ter ideias concretas para a modalidade.

«O Trail nacional tem tido um grande desenvolvimento nos últimos anos e isso tem sido fantástico, mas penso que ainda é escassa a cultura desportiva em Portugal e isso é por demais evidente quando, no dia-a-dia, perdem-se imensas energias a identificar coisas erradas, arranjar culpados e competir por objetivos individuais, muitos deles egoístas, em vez de debater as coisas de forma saudável e procurar soluções para melhorar a modalidade como um todo. Por vezes temos de abdicar do nosso bem-estar pessoal por um bem maior. E isso poucas pessoas os fazem.»

LEIA A ENTREVISTA COMPLETA AQUI

Tiago Cantante Romão termina a sua prova no Mundial de Trail
Tiago Cantante Romão jamais esperava terminar a classificação geral de Portugal no Mundial de Trail

Fotos: Miro Cerqueira / Prozis

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos