A Força esteve com Vanilson Neves na Star Wars Half Marathon The Dark Side

Depois da Walt Disney World Marathon, o brasileiro Vanilson Neves regressou ao Mundo Mágico construído nos Estados Unidos para correr a Star Wars Half Marathon The Dark Side, uma prova recente da marca norte-americana.

 

Foi a sua primeira participação na Star Wars Half Marathon The Dark Side?
Sim, quando vi o anúncio da prova, no site da organização, achei a proposta superinteressante e rapidamente fui ver vídeos anteriores das corridas. Confesso que chamou muita a atenção… Ao mesmo tempo, sabia que seria bem complicado participar na prova devido aos meus planos de treinos e objetivos da temporada. Mas, com o decorrer do tempo, a vontade de participar aumentou e percebi que poderia ser uma grande oportunidade de poder fazer um belo resultado no exterior. Confirmei a minha participação no evento e “mandei ver” nos treinos.

O que poderia falar sobre a prova?
A Star Wars Half Marathon The Dark Side é composta pelas seguintes provas: Star Wars Desafio (5, 10 e 21 km), Star Wars Dark Side 5K, Star Wars Dark Side 10k, Star Wars Dark Side 21k e as corridas Kids Races Disney.
Na gigantesca Expo que é realizada no complexo ESPN, os corredores da prova e os seus acompanhantes conseguiram visitá-la e tirar foto com os personagens que estavam por lá.
As partidas foram às 05h30, nos seguintes locais:

5k – estacionamento do Epcot (partida e chegada)

10k e 21k – partida no estacionamento do Magic Kingdom e chegada no Epcot, onde está completamente escuro e isso dificulta a visibilidade dos corredores. Felizmente que tinha um membro da organização com uma moto comigo, caso contrário poderia focar perdido na escuridão.

Na própria ESPN foi realizada as corridas Kids, onde varia de 100 metros e 1 milha (1.609 metros).

Vanilson Neves feliz com o triunfo na Star Wars Half Marathon
Vanilson Neves feliz com o triunfo na Star Wars Half Marathon

Evidentemente que a grande atração durante todo o percurso são os personagens do universo Star Wars, que estão espalhados por todo o trajeto, personagens que incentivam os corredores em lugares estratégicos. No entanto, os amadores não conseguem resistir e acabam por parar e tirar fotos com eles. Aliás, foi uma grande surpresa para mim ver muitos participantes a correr vestidos de personagens da saga. Compreendi como o povo americano é fã de Star Wars.

LEIA TAMBÉM
Como tratar da fasceíte plantar

Ou seja, uma enorme festa.
Sim! Correr na Disney é sinónimo de atração garantida, em tudo. A prova dos 21 km, por exemplo, também passava pelos Parques da Disney, como os Animal Kingdom, o Hollywoold Studios e o Epcot.
Correr na Disney é algo muito mágico, é o sonho de muitos corredores. A sensação que fico quando corro por lá é a sensação que vivemos um verdadeiro mundo de realizações, onde a atração das provas são os personagens que apenas conseguimos ver no cinema e na televisão. Ter essa sensação, ou mesmo a oportunidade de estarmos tão próximos deles, é algo realmente muito mágico.
Mesmo sendo tão cedo, há muitas pessoas no percurso a incentivar os corredores. Os norte-americanos gostam de provas longas e não se importam de acordar cedo para apoiarem os participantes, reconhecem que o importante é poder participar. Os norte-americanos sabem que as longas distâncias são extenuantes, que levam o corpo dos corredores ao limite.
Sobre a minha corrida, e apesar dos personagens da saga Star Wars colocados nos locais estratégicos para uma fotografia, a verdade é que não parei para tirar fotos, mas não faltou vontade. Evidentemente que a grande parte dos participantes queria era tirar fotos com os personagens, o que não foi o meu caso. 

Vanilson Neves destaca o percurso plano e rápido da Star Wars Half Marathon The Dark Side

O troféu da Star Wars Half Marathon
O troféu da Star Wars Half Marathon

E sobre o percurso em si, o que poderia falar sobre ele?
Além de ser bastante escuro (risos), o trajeto é muito rápido e plano, com nenhuma subida. A maior dificuldade que tivemos foi o vento contra, que acabou por atrapalhar em alguns quilómetros. Sofri muito! Outro ponto mais delicado foi quando corri dentro dos parques, principalmente no Animal King, com curvas muito acentuadas e a mudança de piso, onde saímos de estrada e passamos a correr no concreto. A resposta não é a mesma e isso faz com que tenhamos alguma dificuldade. 

Quais as diferenças para a prova que realizou há alguns meses?
As duas provas são muito parecidas: a mesma organização, o padrão das provas organizadas pela Run Disney e certamente boa parte do público também. Particularmente, achei um número menor de participantes comparando com a Maratona, até porque, no início do ano, são quatro provas, sendo uma delas a referida Maratona, que é uma prova muito mais tradicional e antiga do que a Star Wars Half Marathon. Mas acredito que, no futuro, a Star Wars Half Marathon The Dark Side poderá ser tão tradicional quanto a Maratona da Disney.

E qual a estratégia que utilizou na corrida?
Fiz a corrida que estava programada. Estava a fazer excelentes treinos, com uma sequência de provas muito forte e constante. Por isso, não pensei quem estava na prova. Embora fosse o grande favorito à vitória, o favoritismo não me deixou em nenhum momento aliviado. O que desejava era fazer a minha prova e, já na partida, assumir a liderança, o que acabou por acontecer. Mesmo informado pela organização da minha vantagem em alguns trechos, jamais abrandei e continuar a dar o meu máximo. Só fiquei aliviado após cruzar a linha de chegada, pois só assim tive a certeza de que era o atual vencedor da Star Wars Half Marathon The Dark Side.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos