Samuel Barata: «Os 10 mil metros é uma distância longa mas é necessário ter muito ritmo»

Samuel Barata admite que tem um carinho especial pelos 10 mil metros, seja em pista, seja em estrada. O atleta do Benfica refere ainda que, até ao momento, vive uma grande temporada, que espera que se prolongue pelo menos até o Europeu de Berlim, entre 7 e 12 de agosto.

 

Os 10 mil metros em pista é onde o Samuel Barata se sente melhor a correr? Ou prefere correr em estrada, por exemplo?
Os 10 mil é uma distância que encaixa perfeitamente no meu estilo de corrida. É uma distância longa mas, ao mesmo tempo, é necessário ter muito ritmo. Mas também gosto de correr a distância em estrada. Mas, para estar bem na estrada, o treino faz-se na pista. Ou seja, gosto de correr a distância em ambas, na pista e na estrada.

Na sua preparação nos Estados Unidos, Samuel Barata visitou o Grand Canyon
Na sua preparação nos Estados Unidos, Samuel Barata visitou o Grand Canyon National Park

Que análise faz da temporada até ao momento?
Até este momento, acho que a época está a ser muito boa. Fui campeão nacional de estrada, alcancei o 3.º lugar no Nacional de Corta-mato, ajudei o meu clube, o Benfica, a ser campeão nacional de pista coberta, fui 20.º no Campeonato da Europa de Corta-mato e agora alcancei o meu melhor tempo nos 10 mil metros, além de ter alcançado a qualificação para os Europeus de Ar Livre. Não podia estar mais feliz!

Depois dos 10000m, Samuel Barata espera alcançar o seu melhor tempo nos 5000m

E comparando com o seu passado. Vive o melhor início de sempre da sua carreira, por exemplo?
Em comparação com as épocas passadas, posso dizer que este ano está a ser uma excelente temporada, mas não posso esquecer que foi nas épocas menos boas que treinei muito, que me fez evoluir para estar num patamar melhor. Por isso, todas as épocas foram importantes na minha carreira.

LEIA TAMBÉM
Europeu de Atletismo com recorde de venda de bilhetes

Inês Henriques: «Muito feliz por ter a possibilidade de estar no Europeu de Atletismo»

Até o Europeu, quais são os seus planos competitivos? Já escolheu o seu calendário até Berlim?
Até ao Europeu vou apostar em distâncias mais pequenas, como os 5 mil metros, para ganhar mais ritmo, chegando bem aos 10 mil metros no Campeonato da Europa. Tenho um objetivo definido que é também alcançar o meu melhor tempo pessoal nos 5 mil metros e irei com certeza estar presente nos principais Meetings para tal. Ainda não escolhi bem o meu calendário, mas, depois da Taça dos Clubes Campeões Europeus de Pista, pretendo ajudar o Benfica no Nacional de Clubes, em meados de julho.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos