Conselhos para correr a Maratona de Chicago

Uma das seis Maratonas mais importantes do Mundo, juntamente com Berlim, Nova Iorque, Boston, Londres e Tóquio, Ricardo Areias também encontrou em Chicago um problema comum a maioria das provas. Ao mesmo tempo, revela alguns conselhos para quem desejar correr a prova no próximo ano…

 

O que mais o fascinou da corrida?
Fiquei fascinado pelo simples facto de correr uma Maratona num outro continente, num percurso totalmente novo para mim!
Todavia, há um aspeto que, para mim, continua a ser decisivo na escolha das minhas Maratonas: o público! Gosto de sentir e vibrar com apoio das pessoas!

 

LEIA TAMBÉM
Quando o público faz levitar o corredor na Maratona de Chicago
Ricardo Areias: de Berlim para Chicago

 

E o que não o agradou tanto?
O que não me agradou, mas é um denominador comum em várias provas, é a hidratação ser feita em copos plásticos. Quando vamos num ritmo competitivo, e no meu caso não é dos mais rápidos quando comparado com outros atletas, temos dificuldade em nos hidratar através de um copo plástico. A um ritmo de 4m10/4m15 por quilómetro, faz com que tenhamos de abrandar para evitar que nos engasguemos e até que façamos uma incorreta hidratação!
De resto, e muito sinceramente, posso afirmar que desde o momento da inscrição, a expo e até o dia da prova, a mim, como atleta amador e de pelotão, nada me faltou!

Os conselhos para correr a Maratona de Chicago

O triunfo de Galen Rupp foi uma autêntica surpresa no seio da corrida?
É verdade, Rupp não era dos nomes mais sonantes da elite e favorito à vitória. Numa elite com nomes como Kimetto, atual detentor do recorde mundial da Maratona, Tadese, que integrou o recente projeto da Nike para baixar das 2h00, e Biwott, com recorde pessoal de 2h03m51, o triunfo de Rupp foi para mim e para muita gente uma surpresa. Fica portanto a vitória para um homem da casa, pelo que vivenciei algo que não acontecia há bastante tempo.

 

Ricardo Areias com amigos após a conclusão da Maratona de Berlim deste ano
Ricardo Areias com amigos após a conclusão da Maratona de Berlim deste ano

 

Poderia dar alguns conselhos para quem deseja correr a Maratona de Chicago?

  • Comprar um mealheiro. É uma prova caríssima para nós, atletas amadores. Por nossa própria conta é difícil suportar provas com o atual valor de inscrição de Chicago, a juntar o valor da viagem e alojamento. Não é fácil mas, confesso, vale a pena!
  • Se o objetivo for o tempo, não desgastar muito as pernas nos dias anteriores da prova. Podemos sempre cair na tentação de explorar a cidade, mas a verdade é que, no dia da prova, o cansaço vai aparecer
  • Não levar música nos ouvidos. Deixar-nos levar pelo som e atmosfera que o público cria. Irá ser uma força extra, é um grande incentivo
  • Estudar a prova em milhas. Foi difícil para mim ter controlo porque a prova está marcada milha a milha e apenas nos é informada a distância em quilómetros de 5 em 5, o que pode tornar o desgaste rápido ao tentar recuperar
  • A Expo Maratona é fantástica e gigantesca comprada com algumas Maratonas da Europa. A organização oferece serviço de transporte gratuito de 4 pontos diferentes da cidade para a deslocação cidade-recinto da feira
  • É possível que o GPS possa não funcionar da melhor maneira, já que a prova. Em algumas zonas, é realizada no centro da cidade, que está rodeado de grandes prédios. Uma boa opção é levar os tempos de passagem pretendidos, preferencialmente em milhas, para assim podermos ter um bom controlo sobre o ritmo pretendido
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos