Challenge Odivelas a Correr: correr 12h com o sonho das 24h

Cidade Europeia do Desporto no próximo ano, Odivelas vai receber, nos dias 29 e 30 de junho, a Challenge Odivelas a Correr, uma corrida de resistência de 12 horas. De referir que 50 por cento das inscrições do evento reverterão para a Associação de Paralisia Cerebral de Odivelas, que são os responsáveis pelos troféus a mão da prova. Estivemos a conversar com Rui Martins, responsável técnico do Centro de Marcha e Corrida de Odivelas.

Como surgiu a ideia do Challenge Odivelas a Correr?
A ideia foi trazer para o nosso país o modelo de prova que vivenciei em Inglaterra, no Enduroman. O nosso objetivo é começar a aumentar o tempo da prova. Vamos começar com 12 horas, mas quem sabe não fazemos as 24 horas no ano que vem?

E quais os motivos para a escolha de 12 horas?
As 12 horas foram decididas devido ao facto de que nós, portugueses, ainda não termos uma boa visão deste tipo de provas de circuito e de tempo de duração elevado. A ideia é começar a trabalhar de forma a cultivar esta ideia de prova em Portugal para assim crescer, tendo como objetivo o aumento de tempo de uma forma progressiva.

O cartaz do Challenge Odivelas a Correr

E como um corredor deve encarar uma prova com estas caraterísticas?
Os atletas deste tipo de provas têm de se conhecer muito bem, ouvir o corpo e não terem nenhum tipo de pressão, ou seja, quando tiverem de andar, devem andar; e, quando tiverem de parar para descansar, devem parar, sem complexos.

O que poderia falar sobre o percurso em si?
O percurso tem 1600 metros e é muito plano, com um piso de terra batida e com algumas pontes em madeira. O circuito será à volta do Rio da Costa, em Odivelas, local onde existe muitas árvores. Escolhemos este percurso por ser menos agressivo para os atletas em relação ao impacto e também por ter muitas zonas de sombra durante o trajeto.

E como a prova funciona? Por exemplo, um competidor pode correr durante um período de tempo com um amigo?
Sim, a ideia da prova é as pessoas se desafiarem. Se tiverem uma altura em que acreditam que podem ganhar algum tipo de motivação tendo como companhia de corrida um amigo ou um familiar, o poderão fazer, desde que avisem a organização. Se o atleta tiver um amigo que pretenda correr com ele às 3, 4 da manhã, não há nenhum problema.

Há provas paralelas ou apenas as 12 horas?
Dentro do Challenge Odivelas a Correr (veja aqui o vídeo da prova) teremos 12 horas individuais, 12 horas por equipas de 4 elementos, 12 horas por equipas de 6 elementos e, por fim, uma prova de 3 horas individuais.

Challenge Odivelas a Correr com bom número de inscritos

Quais os segredos para ultrapassar um desafio deste porte?
Na minha opinião, o maior segredo passa pela alimentação/hidratação, ou seja, comer e beber o que estão habituados e não estar dependente do que a organização venha a dar. Mas também encontrar um ritmo confortável, que seja o mais económico possível

Como está a correr o número de inscrições?
Até ao momento, estamos muito impressionados com a adesão ao Challenge Odivelas a Correr (clique aqui para se inscrever). Sendo uma prova tão específica e de uma dificuldade alta, em termos de duração, as inscrições estão acima do previsto, o que é muito positivo para nós, organizadores. É sinal de que, se tudo correr bem, para o ano teremos mesmo de levantar a fasquia…

O pecurso do Challenge Odivelas a Correr passará por pontes de madeira

Odivelas é, no próximo ano, Cidade Europeia do Desporto. Como analisa esta nomeação?
Não sou a pessoa mais indicada para falar desta nomeação para a cidade, mas o vereador do Desporto, Paulo César Teixeira, o grande mentor desta grande conquista. No entanto, como o próprio afirma, isto é uma vitória de todos os odivelenses, todos nós tivemos um papel importante para esta conquista. Mas posso dizer que é uma vitória justa pelo esforço que todos tivemos, cada um à sua maneira. Somos uma cidade que vive o desporto de uma forma intensa, em todas as vertentes e modalidades.

E Odivelas é um concelho muito ligado ao Mundo da Corrida?
No passado era uma cidade muito rica em Atletismo, com provas de todos os tipos e feitios, com grandes equipas e atletas. Depois tivemos um tempo menos produtivo mas, neste momento, estamos muito ativos na modalidade, com muitas provas no concelho e a crescer diariamente em praticantes. E que treinam na cidade!

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos