Uma bifana após uma corrida, não sabes o bem que te fazia

Correr pelo tempo ou correr por uma bifana? A Corrida da Cidade, agendada para o dia 21 de maio, terá uma saborosa novidade este ano: todos os participantes receberão bifanas após a linha da meta. Sobre a dúvida “existencial” que poderá ocorrer a muitos corredores, o presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas, Luís Dias, também responsável pelo pelouro do Desporto, espera que todos os participantes corram pelo tempo “E” pela bifana.

 

Mais de duas décadas. Poderia fazer um pequeno resumo das 22 edições? Quantos atletas tinham na primeira edição? Quantos na última? A participação das mulheres? Etc.
A Corrida da Cidade surgiu em 1994 com o objetivo de comemorar o primeiro aniversário da elevação de Vendas Novas a Cidade (20 de maio de 1993), contando nessa edição com 210 atletas, num percurso de 12km. Desde então que se realiza sempre no terceiro domingo do mês de maio. Ao longo do tempo tem conseguindo cativar atletas nacionais e internacionais, em representação de vários clubes e individualmente, subindo no número de participantes e na diversidade de provas que a constituem. Atualmente integra uma corrida de 10km, corrida de 5km, caminhada (5km) e corrida jovem (minis a juvenis).
Em 2016, a iniciativa contou com 1.150 participantes, com o atleta olímpico brasileiro Paulo Paula (Skechers Brasil/Luasa) a cortar a meta dos 10km com o tempo de 30m22; no feminino, Clarisse Cruz (S.C. Salgueiros,) foi a mais rápida, com 34m24.
Mulheres e homens têm aliás disputado a prova lado a lado. A igualdade de sexos é respeitada, com a tabela de prémios monetários dos 10km a ser igual para os dois. Com a introdução, em 2014, da prova de 5km, notámos que houve um acréscimo da participação feminina, que anteriormente ficavam só pela caminhada mas que agora têm uma prova à medida das que gostam de distâncias mais curtas.

Como analisa estas 22 edições? O que é mais notório de verificar?
Fazemos uma análise muito positiva. Ver caras conhecidas, ano após ano, é sinal que continuamos a estar na preferência de muitos atletas. Referimo-nos aos que correm em nome individual mas também a elites. Hermano Ferreira, por exemplo, faz a nossa prova há anos e continua a vir a Vendas Novas sempre que consegue. Já foi, aliás, padrinho da Corrida, em 2015.
Na nossa opinião, o facto de termos mantido uma data fixa ao longo destes 23 anos, de assegurarmos preços de inscrição acessíveis, de termos criado provas para todos os níveis e oferermos um kit de atleta o mais composto possível, dá-nos credibilidade e tem consagrado a iniciativa. Claro que para isto temos contado com o imprescindível apoio de um conjunto de patrocinadores locais, regionais e nacionais, que têm feito questão de aliar o seu nome a este evento.

Qual a importância da corrida para a cidade de Vendas Novas? Em termos sociais e desportivos?
Já há alguns anos que Vendas Novas se assume como “Cidade Desporto”, um desígnio que vem da multiplicidade de iniciativas que aqui têm lugar, quer de cariz municipal, associativo ou de entidades externas, que nos escolhem para anfitriões.
São várias as modalidades que temos capacidade para colocar à disposição da nossa população, pois dispomos de qualificados equipamentos desportivos. O Atletismo, por exemplo, tem bastante tradição na terra, por termos um clube com histórico de bons resultados, pista de atletismo homologada e um elevado número de praticantes amadores que diariamente se juntam em treino de rua. A Corrida da Cidade é o resultado disto tudo. É a nossa prova mais emblemática, que consegue cativar atletas amadores, federados, mulheres, homens e crianças. Os seus benefícios são sociais, desportivos e até comerciais, como os visitantes a ficarem por cá para almoçarem e a conhecerem a nossa gastronomia.

Como descreveria o percurso? O que a prova tem de especial, o que a diferencia?
O percurso é praticamente plano, sem grandes exigências, feito na zona urbana da cidade. Podemos dizer que o que diferencia a Corrida da Cidade é o seu cariz popular, oferecendo possibilidades a atletas de todas as idades e condições físicas, sendo uma verdadeira festa desportiva para toda a família. Não existem muitas provas em que podem participar atletas dos 10km, 5 km, caminhada e corrida jovem, com T-shirt para todos, medalhas, prémios monetários individuais e taças para equipas, sorteios de prémios, massagens, animação musical, apoio a uma instituição social e, tudo isto, com um preço de inscrição bastante acessível. O facto de termos prémios monetários até ao 5.º lugar nos 10km, em todos os escalões, masculinos e femininos, também nos diferencia. Este ano, temos ainda outro elemento a favor, a oferta de Bifanas de Vendas Novas a todos!

A corrida foi pioneira na região? Há muitos corredores de outras cidades a participarem?
Foi uma das pioneiras, há 23 anos não existiam muitas corridas de estrada no Alentejo. Ao longo dos anos tem conseguido manter um bom nível competitivo e um número bastante interessante de participantes, sendo uma referência na região. Acolhe atletas oriundos de várias zonas do país, no entanto a grande franja é oriunda da zona metropolitana de Lisboa e do Alentejo.

Como referiu, uma das curiosidades é oferecerem bifanas aos participantes.
A iniciativa começou este ano, apesar de ser uma ideia que já temos vindo a querer consolidar nas edições anteriores. A mesma só se conseguiu concretizar devido à preciosa parceria das casas de Bifanas de Vendas Novas. Sem o apoio deles não seria possível.

Acredita que os tempos melhorarão em termos gerais com este curioso prémio?
Esperamos que seja um chamariz para correrem ainda mais rápido…

 

PASSATEMPO CORRIDA DA CIDADE
Temos dois dorsais para a prova e… para a bifana

 

E a bifana é o melhor alimento para comer após uma corrida de 10km?
É o melhor e mais genuíno produto gastronómico de Vendas Novas que podemos dar a conhecer. Não tem propriamente a ver com ser o melhor ou o pior, tem a ver com a valorização do que é nosso e com a afirmação de um produto, já tão conhecido país fora, que nasceu aqui e aqui continua a ter as suas raízes e o seu desenvolvimento. Bifanas e Corrida da Cidade de Vendas Novas coadunam-se perfeitamente por pertencerem à história do mesmo território.

Teremos mais pessoas a correr pelo tempo ou pela bifana?
Esperemos que pelos dois! De uma coisa temos a certeza: seja qual for o tempo que façam, todos têm direito à sua bifana.

Pedro Alves

Pedro Alves