Quando o corpo de António Lopes disse «Não!» na Ultramaratona Corrida do Tejo

O objetivo de António Lopes de percorrer os 144 quilómetros da Ultramaratona Corrida do Tejo não foi alcançado. Desta vez, o corpo não aguentou!

 

Começou a doer-me a cabeça e senti tonturas, mesmo sentado. Levantei-me para molhar a cabeça e refrescar-me, mas continuei com tonturas. Voltei a sentar e a beber mais água para equilibrar a falta de hidratação. 

Após muito refletir e ponderar sobre a minha situação e a prova em si, pensei em ficar por ali mesmo.

Entretanto, falei com a minha mulher ao telefone e falamos desta hipótese, não me sentia mesmo com forças.

Estava decidido!

É certo que me custou muito tomar esta decisão, não é fácil geri-la, mas quando é o próprio corpo a manifestar o desagrado do sacrifício, o melhor é continuar a escutá-lo como sempre fiz e sempre farei.

O objetivo que tinha em terminar esta prova logrou-se com a não aceitação de combustível pelo meu corpo para que levasse esta aventura avante.

Reconheço hoje que talvez não tenha gerido bem a escolha de suplementos a intercalar durante o percurso; reconheço que o calor abrasador, quer durante a noite, quer durante o dia, acelerou o desgaste físico e sugou todas as minhas reservas; reconheço, enfim, que tomei a decisão correta no tempo correto e com plena consciência de que fiz o melhor que podia dentro de todos estes contras.

Orgulho e tristeza na hora do abandono da Ultramaratona Corrida do Tejo

Foi com um misto de tristeza e orgulho que aceitei a minha decisão! E foi altura também para decidir utilizar os produtos da Tailwind, os quais me asseguraram que ajudam a colmatar estas deficiências de absorção energética pelo corpo. Vou testando…

Sem dúvida que todo o inúmero apoio que permanentemente tive durante e após a prova, através da família e de amigos, foi de extrema importância. Com palavras de ânimo e incentivo, sempre foram dando força!

O primeiro dia de António Lopes na Ultramaratona Corrida do Tejo. O pior foi despois...
António Lopes não imaginava o infeliz desfecho da Ultramaratona Corrida do Tejo no primeiro dia

A todos aqueles que sintam necessidade de extravasar os limites, têm todo o meu apoio, mas oiçam com atenção o próprio corpo e aprendam a melhorá-lo para que novas e melhores aventuras possam fazer-nos sorrir e, continuamente, seguir o nosso sonho.

Se não for hoje, será amanhã!

O meu muito obrigado a todos!

 

LEIA TAMBÉM

Sacrifício é preciso para a Ultramaratona Caminhos do Tejo

Vómitos marcam o percurso da Ultramaratona Caminhos do Tejo

António Lopes na Ultramaratona Caminhos do Tejo:
correr 1 km e caminhar 300 metros

O esgotamento e o cansaço colocam em dúvida
a continuação na Ultramaratona Caminhos do Tejo

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos