O sono é um dos principais obstáculos em provas de duas centenas de km

“A Semana das 73h16m35”, a crónica de José Manuel Mota na Trans360º, com 265 km e um desnível positivo de 16500 metros, termina esta sexta-feira. Ao olhar para trás, o atleta português recorda qual alguns momentos do que foi a sua aventura: a estratégia, o sono, quando teve medo por estar perdido à uma da manhã num local perigoso, etc. Mas o passado já foi e agora José Manuel Mota tem como meta mais uma prova com duas centenas de quilómetros: Mauna to Mauna Ultra, 155 milhas (250 km) em auto-suficiência em seis etapas durante sete dias, entre 14 e 20 de maio… deste ano!

 

ESTRATÉGIA
A estratégia é manter um ritmo que seja o meu sem entrar em défice, hidratar bem, comer quando me sinto fraco, dormir o suficiente para o corpo também relaxar, mas sem descansos longos, e tirar partido dos pontos mais fáceis de progredir

SONO
Sem dúvida que as noites são um dos obstáculos mais difíceis neste tipo de provas. Dormi umas 4/5 horas, mas o plano era dormir durante as três noites. Dormi duas nas bases vida e a última onde o sono chegou. Ou seja, ajustei a estratégia em função do momento

LEIA TAMBÉM
Dos 25 km da estrada para os 265 km do Trail

 

RELACIONAMENTO ENTRE ATLETAS
O relacionamento é de interajuda e motivação mútua nos momentos em que alguém está em dificuldades. Mas é óbvio que cada um faz a sua prova em função do ritmo e estado físico do momento

INSEGURANÇA
Perdi-me algumas vezes sem grandes problemas mas, ao km 240, assustei-me por várias razões: por ser uma hora da manhã, pela zona ser perigosa, devido ao frio e por estar sozinho. Tive medo! Tudo aconteceu devido a falta de descanso, que retirou-me alguma concentração

LEIA TAMBÉM
Português teve de aprender a correr com GPS na Trans360º

 

O QUE RECORDA APÓS DUAS SEMANAS
Todo o ambiente envolvente da prova, as paisagens maravilhosas por onde passei, os momentos difíceis em que a progressão com grau de dificuldade era maior e sentíamos a dureza da prova, o acolhimento dos voluntários nas bases vida e a minha chegada à meta, com toda a receção fabulosa e a emoção que senti naquele momento.

O QUE A PROVA TROUXE
Em concreto, a Trans360° pouco trouxe para a minha vida. Fica a realização pessoal de ter terminado esta prova, com uma boa classificação, o reconhecimento dos amigos pelo feito e o currículo, que fica em registo.

LEIA TAMBÉM
Como correr 50 km em 13 horas…

FUTURO
Já está planificada a seguinte: Mauna to Mauna Ultra, de 250 km em auto-suficiência em seis etapas, em maio. Fiz recentemente Vila de Rei 50 km, no dia 24 de março estarei nos 100 km no Marão, com D+ 6000m, o tipo de provas que gosto. Para Dezembro tenho outra em mente, de 300 km, no Algarve, a ALUT – Algarviana Ultra Trail, prova que será a mais longa em Portugal, uma corrida que faz a sua estreia no calendário nacional.

LEIA TAMBÉM
Atleta português entrou em pânico após se perder

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos