As lágrimas que levaram Fernanda Verde ao Mundial de Trail

Para estar no Mundial de Trail deste ano, no próximo dia 12 de maio, Fernanda Verde realizou alguns treinos com lágrimas nos olhos, tal a exigência dos mesmos. Mas nada supera a honra e o orgulho de representar Portugal.

 

Sou uma minhota muito ambiciosa e aplicada em tudo que faz parte dos meus sonhos.

Vencer a Taça de Portugal em 2017, para poder representar o meu país este ano, era o meu objetivo principal no ano passado. Preparei ao pormenor todos os elementos que, para mim, eram fulcrais para vencer este desafio. Os treinos foram exigentes e por vezes com lágrimas nos olhos. A alimentação e as horas de descanso foram fundamentais, os amigos que me acompanham diariamente nos treinos foram a chave para o meu sucesso, principalmente os meus colegas de equipa da EDV – Viana Trail.

LEIA TAMBÉM
Nascimento do filho levou Fernanda Verde ao Trail

Fernanda Verde vai participar no seu terceiro Mundial de Trail

Trilhos dos Abutres organiza o Mundial de Trail em 2019

Quem são os participantes do Mundial de Trail 2018 a 12 de maio?

O dia chegou e a “Leoa Minhota” estava preparada para o desafio, sempre descontraída mas com um friozinho na barriga na hora da partida. Corri e corro sempre a ouvir música, cantarolando km a km, e lá fui eu até à tão desejada meta, tornando o sonho em algo real.

Fernanda Verde vai correr o Mundial com um sorriso no rosto

O objetivo principal no Mundial será correr de sorriso no rosto, aproveitar cada paisagem, cada quilómetro, levar a bandeira nacional gravada no meu coração e dar o melhor pelo meu país e pela minha seleção. Acredito que Portugal tem uma equipa muito forte, tanto a nível masculino como feminino, e certamente que cada um de nós vai superar este desafio, sempre de sorriso no rosto. Temos atletas com muita experiência em corridas nacionais e internacionais e o Mundial será mais um para juntar ao curriculum de todos nós.  

As sapatilhas de Fernanda Verde sofrem nos seus pés...
As sapatilhas de Fernanda Verde sofrem nos seus pés…

Sobre o Mundial em si, o facto de a seleção nos dar a possibilidade de fazer o reconhecimento dos trilhos do percurso é uma mais valia para a preparação do grande dia. Reconhecer o tipo de terreno para adequar o calçado e a gestão da hidratação e alimentação é fundamental num desafio desta dimensão. Todos os pormenores são importantes para um atleta quando queremos muito superar um desafio com sucesso. Por norma, sou muito metódica e dedicada aos objetivos que me proponho.

Para muitos de nós, portugueses, estes sonhos e esta paixão pelos trilhos e pela montanha só é possível com alguns dos apoios que vamos tendo. Felizmente que, desde que abracei esta paixão, tive o apoio de uma empresa que ainda hoje caminha a meu lado, a Vipur Lda., bem como a Junta de Freguesia de Santa Marta de Portuzelo e a minha equipa, a EDV – Viana Trail.

NEM O CÉU É O LIMITE!…

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos