Cortina Trail: as surpresas logísticas de uma prova de Trail

André Lima Cabrita participou recentemente no Cortina Trail (48 km/D+ 2600m), prova inserida na North Face Lavaredo Ultra Trail. Em Itália, o português acabou por ter de ultrapassar alguns percalços…

 

Após a participação no Eiger Ultra Trail (51 km) em julho do ano passado comecei à procura de novos desafios. O Cortina Trail, prova que também faz parte do Ultra Trail World Tour, pareceu-me um desafio interessante. A prova realizava-se pela sexta vez, ao longo de 48 km, com um desnível acumulado de 2.600 metros.

Pano de fundo? As Dolomitas, cadeia montanhosa dos Alpes orientais, em ItáliaO evento era composto por mais outras três provas: a prova principal, 11.º North Face Lavaredo Ultra Trail 120 km (D+ 5.800m), a 3.º Cortina Skyrace 20 km (D+ 1000m) e a 1.º Cortina Kids Race.

 

Cortina-Trail
A beleza da Cortina Trail é constante ao longo do percurso

 

A participação no Cortina Trail estava pendente do resultado de um sorteio, cujas inscrições abriram no dia 30 de novembro e encerraram 10 dias depois,. No total, 2.405 inscrições para as 1.500 vagas disponíveis. No dia 15 de dezembro recebi uma prenda de Natal antecipada: a confirmação de que fui um dos sortudos que poderia participar no Cortina Trail.

Comecei a preparar de imediato toda a logística: confirmar a inscrição, o atestado médico, os voos, o hotel e os transportes. Ficou tudo preparado a meio de janeiro. Agora era só esperar e treinar durante 6 meses.

 

Cortina-Trail-percurso
Mesmo no Verão, à esquerda, resquícios de neve

 

Na preparação da mala e do equipamento chegou a confirmação de que as previsões meteorológicas eram boas. OU seja, a roupa mais quente não era material obrigatório. Uma boa notícia, já que significava menos peso para carregar.

 

UMA DESAGRADÁVEL SURPRESA
EM ITÁLIA

 

Após chegar a Cortina d’Ampezzo, fui até ao hotel para deixar as malas para depois levantar o dorsal. No entanto, ao chegar a unidade hoteleira que tinha reservado, fui recebido por muitos miúdos a brincarem no jardim e algumas freiras. Na porta principal do edifício, um senhor informou-me de que o hotel tinha sido convertido numa colónia de férias e que não havia possibilidade de lá ficar instalado, apesar de já ter tudo pago aquando da reserva.

Entrei em contato com o website onde tinha feito a reserva, que me atendeu. Ficou tão surpreso quanto eu! Disponibilizou-se para encontrar uma solução e, cerca de uma hora depois, já tinha um novo quarto. No entanto, não tão próximo do centro, já que Cortina d’Ampezzo estava completamente lotada de atletas. Mas aceitei imediatamente a opção que me apresentaram.

Depois de tudo encaminhado, fui passear, onde já se preparava a partida do North Face Lavaredo Ultra Trail. A partida iria acontecer às 23h00. Sentia-se o completo envolvimento de toda a cidade, uma atmosfera extraordinária. Os atletas preparavam a partida. À hora da saída, as ruas estavam repletas de espectadores e familiares, que apoiavam os atletas da prova principal.

Cortina-Trail-dificuldade-técnica
A dificuldade técnica do Cortina Trail não é elevada, mas é necessário algum cuidado

 

A partida para o Cortina Trail foi mesmo no centro da cidade, às 8h00. Devido à hora, não havia tantos espetadores. Todavia, senti sempre o apoio ao longo da prova, quer nas zonas de abastecimento, quer quando nos cruzávamos com pessoas a passear pelas Dolomitas…

(Não perca na quarta-feira a segunda parte da crónica)

 

LEIA TAMBÉM
Como João Laranjeiro sobreviveu a Maratona do Rio de Janeiro

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos