Somos gordos?

Ser ou não ser gordo, eis a questão. Onde está o limite? Será que uma pessoa aparentemente magra não tem gordura em excesso? Sim, pode. Para saber se és ou não uma pessoa gorda, tens de fazer uma avaliação para saber a percentagem de massa gorda. Só assim é que podemos saber se verdadeiramente somos gordos ou não.

 

Ter uma percentagem de gordura elevada é tão negativo para a saúde como se esta for inferior aos limites aconselhados. Não te esqueças do síndroma que surge quando as desportistas, com a intenção de perder peso, deixam de ter a menstruação (amenorreia), apresentando osteoporose ou fragilidade óssea e desordens alimentares como a anorexia ou bulimia. Quando a percentagem de gordura corporal desce para valores abaixo dos limites fisiológicos (menos de 12%), há alterações hormonais e a menstruação desaparece, havendo o risco do surgimento de uma menopausa precoce. Este mecanismo de defesa dá-se de modo a evitar a gravidez em épocas de escassez dos alimentos. A fecundação pode ser impedida quando a mãe não tem gordura de reserva suficiente para alimentar um feto e manter o aleitamento.

Nos homens, os valores abaixo de 5% são perigosos para a saúde e devem também ser controlados. Reduzir a percentagem de gordura ao extremo está relacionado com desarranjos hormonais, alterações do comportamento, desidratação, fadiga crónica, sucetibilidade a lesões osteoarticulares, com a baixa das defesas e com infeções frequentes.

Quais são os riscos da gordura em demasia?

Os especialistas começam a preocupar-se com a epidemia da obesidade a que estamos a assistir nos países ditos desenvolvidos. O excesso de gordura está diretamente relacionado com problemas de saúde e com doenças tais como:

  • Aumento da tensão arterial
  • Aumento dos níveis de colesterol total
  • Aumento do colesterol LDL (mau)
  • Aumento do risco de surgimento de doenças cardiovasculares
  • Aumento do risco de sofrer de diabetes
  • Endurecimento arterial
  • Agravamento da osteoartrite
  • Surgimento de coágulos no sangue e nas veias varicosas
  • Desordens gastrointestinais
  • Predisposição para alguns tipos de cancro
  • Diminuição do tempo de reação
  • Perda do equilíbrio e da coordenação
  • Maior suscetibilidade a infeções
  • Diminuição da circulação
  • Atraso na cicatrização e na cura de feridas

Na sexta-feira continuaremos a abordar este tema.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos