Saucony Ride 10: peso não compromete o conforto e o amortecimento

Ruben Costa aproveitou a Corrida das Fogueiras e a Meia-maratona de Almada para testar o novo Saucony Ride 10, «indicado para corredores mais pesados (80kg ou mais) que preferem o amortecimento em detrimento da rapidez».

 

Depois de testado os Saucony Kinvara 8 e ter a possibilidade de conhecer pela primeira vez a marca e o modelo em particular, surgiu a oportunidade de testar os novos Saucony Ride 10, com drop de 8mm e um peso de 314 gramas. Não conhecendo o modelo anterior, o Ride 9, limito esta minha análise apenas a esta versão, sem comparações com a anterior.

A primeira sensação que tive ao retirar as sapatilhas da caixa foi a de ter em mãos umas sapatilhas um pouco pesadas, com um formato largo na parte frontal. No entanto, após as calçar, a impressão rapidamente desapareceu. Mal se sentem, tal o conforto que proporcionam pela sensação de flexibilidade e acolchoamento.

 

O conforto é uma das caraterísticas do Saucony Ride 10
O Saucony Ride 10 é mais uma agradável surpresa para Ruben Costa

 

Uma vez mais fiquei agradado com a combinação de cores. A Saucony, neste modelo Ride 10, opta por uma combinação de cor bastante interessante. Esta versão em cinza/preto apresenta-se de forma muito sóbria, com uma suave transição do cinzento para o preto à frente, com mistura de cinzento atrás, algo muito agradável ao olhar. Ao mesmo tempo, apresenta três “apontamentos” de verde: a língua dos ténis com a indicação da marca/modelo, o contorno do calcanhar e a sola com a borracha em verde. Achei interessante o pormenor do nome Saucony estar escrito no calcanhar das sapatilhas, na vertical, e ser de material refletor, embora não pareça ser um modelo ideal para correr à noite.

Assim, e após fazer uns quantos treinos (maioritariamente em alcatrão) e duas provas, os 15 km das Fogueiras e a Meia-maratona de Almada, deixo as minhas impressões sobre estes Ride 10, no fundo o que mais importa após os pormenores estéticos…

Saucony Ride 10: conforto, amortecimento, estabilidade e impulsão

Em termos de tecido, a Saucony utiliza também neste modelo a tecnologia Flexfilm, com duas camadas super-finas de têxtil respirável, macias, bastante resistentes e leves, que permitem uma excelente flexibilidade e respirabilidade. De notar a ausência de costuras, o que se torna importante para evitar qualquer tipo de fricção e sensação de desconforto nos pés.

Embora as sapatilhas sejam algo largas na parte frontal, notei que se tornam estreitas na zona intermédia, podendo ser um foco de desconforto. No entanto, para quem tem os pés largos, pode ser um modelo ideal, tal é o espaço proporcionado pela largura frontal. Pessoalmente, senti-me completamente confortável, sem a sensação de aquecimento e bolhas no final do treino/prova.

 

O Saucony Ride 10 apresenta um belo design
O design do Saucony Ride 10

 

Os atacadores, embora finos, são de boa qualidade, quase até com um formato aeróbico, facilmente ajustáveis. Curioso o pormenor de os dois furos superiores estarem muito próximos um do outro, permitindo um bom ajuste ao pé, mas não em excesso. 

O contorno do calcanhar da Saucony Ride 10 está envolvido numa estrutura rígida e até bastante alta. Mas é extremamente acolchoado, possibilitando deste modo uma boa estrutura e apoio a toda a zona envolvente do tornozelo, assim como o conforto a cada passada. A língua dos ténis também é bem almofadada e macia, muito confortável (diria até que permitem correr sem meias, mas eu não arrisquei…). 

Na entressola, a Saucony utiliza uma vez mais a tecnologia Everun, proporcionando não só um bom retorno na energia a cada passada, como um excelente amortecimento. Em relação à sola, é em borracha, com rasgos, o que possibilita uma boa aderência e flexibilidade do pé no momento da impulsão.

Após correr com a Saucony Ride 10 pouco mais de 90 km, a minha opinião final é das melhores. Conforto, amortecimento, estabilidade e impulsão. Estas foram as várias sensações que senti. Acredito que são um modelo ideal para média/longa distância. Os 21 km/42 km são claramente as distâncias perfeitas para usar os Ride 10, tal é a sensação de rápida resposta da sola e, principalmente, do conforto junto com o amortecimento. Não são umas sapatilhas “rápidas”, como por exemplo os Kinvara 8 que testei há uns meses, mas não comprometem.

 

Saucony 10 e a sua sola
A sola do Saucony 10

 

Indicado para:
Corredores mais pesados (80kg ou mais) que preferem o amortecimento em detrimento da rapidez.
Passada neutra
Treinos diários/longos
Provas de 21 km/42 km
Estrada, principalmente alcatrão, ou piso de terra batida

 

Pontos Fortes:
Amortecimento e acolchoamento
Proteção e conforto que proporciona aos pés
Boa aderência ao piso e boa resposta em termos de retorno de energia da passada
Design agradável e combinação de cores sóbria mas bastante atrativa
Leveza e flexibilidade na parte frontal

 

Pontos Fracos:
Estrutura traseira algo rígida
Podem ser considerados um pouco apertados na zona intermediária

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos