Paulo Paula pretende brilhar com o Belenenses na Maratona de Lisboa

Paulo Roberto de Paula, novo reforço do Belenenses, pretende alcançar um bom resultado na Maratona de Lisboa, no domingo. Com duas presenças olímpicas, tendo como melhor classificação o oitavo lugar nos Jogos de Londres, em 2012, o brasileiro era para correr a Meia-maratona.

 

Poucos dias depois de ser oficialmente apresentado como novo atleta do Belenenses, pela primeira vez Paulo Paula vai vestir a camisola do clube da cruz de Cristo, precisamente na Maratona de Lisboa, que, este ano, apresenta um novo percurso, um percurso que será realizado em grande parte em Cascais, terminando na Praça do Comércio.

O brasileiro revela na entrevista concedida ao Corredores Anónimos que, inicialmente, não era para correr a Maratona, mas a Meia-maratona. Ao mesmo tempo, Pedro Paula diz estar preparado para a prova e que o calor poderá ser benéfico para as suas aspirações finais. O objetivo é surpreender a armada africana e, quem sabe, comemorar o primeiro triunfo com a camisola do Belenenses.

 

LEIA TAMBÉM
Cerca de 10 mil estrangeiros na Maratona e Meia-maratona de Lisboa

Nova meta da Maratona de Lisboa espera atrair 10000 inscritos no futuro

 

Paulo Paula representou o Brasil nas Maratonas dos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e do Rio de Janeiro (2016), terminando nas 8.ª e 15.ª posições, respetivamente. No Mundial de Atletismo de 2012, em Moscovo, foi 7.º colocado. O seu recorde pessoal é de 2h10m23, tempo alcançado na Maratona de Pádua, em Itália, há quatro anos.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos