Partir junto com o Invicta Runners Team e chegar junto com o… Invicta Runners Team

 

invictus1

Depois do Guimarães Corre Corre e do grupo do Barreiro BRRnightRUNNERS, chegou a vez do Invicta Runners Team, do Porto, integrar «A SEMANA DOS GRUPOS DE CORRIDA» do nosso site. Ao contrário dos dois primeiros, aqui a vertente competitiva é uma realidade, mas não a justificação para a sua existência.

 

Vamos correr até aos 3000 amigos. Faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

«Partimos juntos, chegamos juntos.» Está é a máxima do Invicta Runners Team, grupo de corrida do Porto que está prestes a completar um ano de vida, concretamente no próximo dia 29 de junho. Na véspera ocorrerá, após a participação da Meia-maratona do D´Ouro Run, o jantar de comemoração do primeiro aniversário do grupo, fundado por Rui Amorim.

«A paixão pela corrida fez com que eu e um pequeno grupo de amigos começássemos a correr de uma forma regular duas vezes por semana. Amigo chama amigo e, quando demos por isso, já éramos uns quantos. Foi então que surgiu a ideia de dar um nome à equipa, um nome que traduzisse duas paixões comuns aos membros do grupo, a paixão pela cidade do Porto e, claro, a paixão pela corrida. Foi quando surgiu a denominação Invicta Runners Team, com o símbolo da torre dos Clérigos.»

Os primeiros treinos, ao domingo de manhã, reuniram três ou quatro “Invictus”, altura em que decidiram criar uma página no Facebook, mas também uma camisola, «para que as pessoas nos identificassem nos treinos e nas corridas».

Ao contrário da maioria dos grupos de corrida existentes no país, o Invicta Runners Team tem como um dos seus objetivos a participação dos seus membros em provas, sendo a D´Ouro Run, nas margens do Rio Douro, em Gondomar, a primeira grande competição em que entraram, a 29 de junho do ano passado. «Conseguimos na altura um patrocínio e lá estávamos representados por 12 “Invictus”.»

Com o Facebook e as camisolas, a exposição do grupo aconteceu de forma natural, «sempre como missão e valor a paixão pela corrida e pelo Porto», faz questão de salientar Rui Amorim.

«Os treinos ao domingo começaram a ter uma maior adesão e passámos em pouco tempo de meia dúzia para 20, média de participante dos nossos treinos. Entretanto, a página no Faceboock começou a ter cada vez mais pedidos de adesão. Perante essa situação, começámos a divulgar os treinos e os objetivos para a equipa.»

A “casa” dos Invicta Runners Team é a Marina do Freixo, local de encontro dominical dos treinos, com o percurso e a distância dos mesmos a variarem consoante a próxima prova a ser disputada.

«Sempre tendo como cenário as margens do Douro, umas vezes pelo lado de Gaia, outras pelo lado do Porto, mas também pelas ruelas da cidade antiga. O objetivo dos treinos é oferecer uma oportunidade a quem deseja correr, mostrar que podem correr em grupo de uma forma fácil. O nosso lema é que todos se sintam confortáveis.»

Por isso, os treinos do Invicta Runners Team são por tempo e não por distância, como é habitual: «Definimos um treino com a duração de 60 minutos, por exemplo. Fazemos o retorno aos 30 minutos e assim todos chegam ao mesmo tempo, o que permite corrermos de acordo com o nosso ritmo.»

Uma das caraterísticas das sessões de corrida é o denominado “FAST RECOVERY”, uma proveitosa confraternização pós-treino na esplanada da Marina do Freixo.

invictus2a«Devido a simpatia do Sr. Jorge, comemos e bebemos algumas iguarias trazidas por quem esteve no treino e aproveitamos para elaborar os próximos objetivos da equipa», refere Rui Amorim, que ressalta que praticamente todos os fins-de-semana há “Invictius” a participar em provas.

As duas provas rainha do grupo são obviamente a Meia e a Maratona do Porto, embora outras sejam «obrigatórias», como a corrida de Paranhos, corrida de S. João, a S. Silvestre do Porto e a já referida D´Ouro Run, «que este ano vai ter um percurso de Meia-maratona».

«Mas, se falarmos da prova mais marcante, é sem dúvida a Maratona do Porto, sublime para qualquer “runner” e para nós em especial, que temos todos uma paixão pela cidade do Porto. Conseguimos que todos acabassem a prova na nossa primeira Maratona como equipa. No final, evidentemente, a alegria e a satisfação de terminar a corrida, na nossa cidade e com o que a Maratona representa, foi sem dúvida o ponto mais alto da nossa jovem equipa.»

Mas o Invicta Runners Team também já desbravou terras estrangeiras, concretamente a Meia-maratona de Vigo-Bay. Rui Amorim refere com orgulho que o grupo portuense foi a equipa estrangeira mais numerosa dos 35 participantes.

«Fomos num autocarro de 52 lugares e, no regresso, fizemos um convívio em Vila Nova de Cerveira com um piquenique onde todos participaram com multas», recorda.

Com o apoio da marca americana de sapatilhas de corrida NEWTON, o Invicta Runners Team continua a convidar o Porto a correr. «É com a maior satisfação que vejo o movimento running a crescer aqui, uma forma simples de fazer desporto e, ao mesmo tempo, apreciar a beleza da nossa cidade, o Porto.»

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos