O quilómetro mais duro do mundo, uma prova só para valentes!!!

corridaverticalle1

É apenas um quilómetro, mas no final parecerá uma prova de Ultra trail. O desafio da I Valtellina Vertical Tube Race, em Itália e agendado para o dia 18 de abril, é enorme e apenas para os valentes. Aqui, os fracos não participam. Apesar de ser “apenas” um quilómetro…

 

Devido ao “boom” da corrida é necessário inovar e cada vez mais surge pelo mundo provas realmente diferentes, divertidas e, principalmente, desafiantes, que colocam o limite do homem em causa. A mais recente é a Valtellina Vertical Tube Race, com uma extensão de apenas um quilómetro.

Mas o problema é fazer esse “apenas”. A prova será realizada ao lado das tubulações da usina hidrelétrica da Enel Sondrio, localizada em plena Montagna di Valtellina, na Lombardia, no Norte de Itália. No total, os participantes são desafiados a subir 2.700 degraus, com uma ascensão vertical de 500 metros e uns impressionantes 60% de declive médio. O trajeto será oficialmente cronometrado e os concorrentes que forem apanhados por um rival têm a obrigação de ceder espaço para a ultrapassagem. A prova começa às 15h00 e o intervalo entre a saída dos atletas é de 30 segundos.

No entanto, alguns dos principais nomes do running/trail também vão participar, com a prova da elite a começar às 17h00, com um intervalo de um minuto.

Por se localizar numa montanha, a pressão nos músculos provocada pela altitude e a dificuldade em respirar, ainda mais em esforço, fazem com que esta prova seja realmente um desafio sobre-humano, apesar de ter “apenas” um quilómetro.

Sente-se valente? As inscrições já estão abertas, embora apenas para 250 atletas.

Faça LIKE na nossa página para ficar por dentro do Mundo da Corrida!

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos