A hidratação é fundamental para melhor recuperar depois do treino da corrida?

Mesmo sem treinarmos, a hidratação é fundamental, mas os cuidados redobram-se quando treinamos e mais ainda quando corremos. Dependendo da pessoa, do tipo de treino e da intensidade, temos que ajustar a hidratação às nossas necessidades.

 

Em princípio, podemos precisar apenas de água até uma hora de treino. Mas, se ultrapassarmos os 60 minutos, poderá ser necessário o isotónico para complementar a hidratação. Todavia, se ultrapassarmos os nossos limites, é importante seguir alguns conselhos (e não repetir para a próxima….).

  1. Aceitou o desafio de correr durante 3 horas e excedeu os seus limites? Pois trate já de recuperar o seu nível. É provável que até tenha perdido um pouco de peso. Se sabia o seu peso anterior, pese-se agora e beba quanto antes 1 litro de água por quilo perdido. Continue a beber água ao longo do dia, pois ajudará a eliminar os compostos nitrogenados da degradação muscular. Está a precisar de uma depuração. A água continua a ser a melhor bebida para repor os líquidos perdidos.
  2. Coma alimentos ricos em hidratos de carbono e proteínas com baixo teor de gorduras durante as horas seguintes ao esforço, que é a altura em que o organismo se encontra mais recetivo e melhor assimila estes nutrientes. Desta forma estará a ajudar a reconstrução muscular. Continue o processo de regeneração durante 48 horas.
  3. Ingira alguns alimentos com potássio (frutos secos, legumes, banana, leite…) para favorecer o relaxamento muscular. Provavelmente os músculos estão muito contraídos e o relaxamento progressivo é uma das formas de recuperar.
  4. Pode ser uma boa altura para começar a tomar um suplemento vitamínico. Se começou a treinar mais intensamente é provável que beneficie com a toma. Informe-se do melhor para saber quais as suas necessidades.

LEIA TAMBÉM

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos