As dicas de Mo Farah para a Maratona

O duelo entre Mo Farah e o queniano Eliud Kipchoge, atual recordista do Mundo, é o principal interesse da Maratona de Londres, agendada para este domingo, 28 de abril. O britânico aproveitou a ocasião e deixou algumas dicas para a distância.

As dicas de Mo Farah foram reveladas no seu canal do Youtube, conselhos que devem ser escutados pelos amantes da Maratona. Uma das dicas para os amantes da corrida é fazer pelo menos um treino longo por semana. Farah considera mesmo que esse conselho «é o mais importante».

«Se não o conseguires, pelo menos realiza um treino longo a cada dez dias», aconselha o britânico, que adianta que o volume e a melhoria do ritmo acontece ao longo das semanas. Farah diz mesmo que o aumento da quilometragem deve ser feito a cada três semanas, quando estivermos “cómodos” com a distância que estamos a correr naquele período.

«Quanto mais quilómetros correres, mais fácil será correr a Maratona», setencia Farah, que defende ainda a inclusão do fartlek no treino, embora não deva estar incluído no treino longo.

«É igual ser um minuto forte e outro de recuperação, ou dois, três minutos fortes e tantos outros mais calmos. O que importa é que o fartlek ajudará a nossa performance

O britânico também referiu no seu vídeo a importância do alongamento, defendendo que, na Maratona, há dois problemas fundamentais: a desidratação e as cãibras. Por isso a importância do aquecimento e do alongamento, salientou o ídolo mundial.

As dicas de Mo Farah sobre o… Muro

No vídeo, Farah também fala do… MURO!

«É algo realmente duro. O importante nesse momento é relativizar e recordar o dia em que nos inscrevemos na corrida, os treinos que fizemos e o compromisso e interesse que tivemos ao longo últimos meses (…) Não deixa de ser apenas uma corrida.»

Farah fala também que é importante acreditarmos em nós próprios e pensar «no trabalho realizado, na família e em cada pessoa que nos apoiou. Assim é mais fácil superar o Muro».

Outro fator abordado pelo britânico é a respiração, algo muitas vezes desvalorizado pelos corredores. «A tendência, quando estamos cansados, é forçar a respiração, mas isso não nos vais ajudar. Simplesmente devemos respirar como sempre, com naturalidade.»

Apesar dos seus inúmeros conselhos, Farah tem um em especial:

«A corrida é um desporto e o importante é se divertir, relacionar-se com os outros (…) É muito importante treinar com amigos ou com familiares. De vez em quando corro com a minha mulher simplesmente para “trotar”.»

As dicas de Mo Farah para termos sucesso na Maratona
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos