Karim El Hayani quer ser o primeiro a correr descalço uma Maratona no… Polo Norte

Defensor acérrimo do “barefoot running”, Karim El Hayani revelou um dos seus próximos desafios: ser o primeiro homem a correr uma Maratona descalço no Polo Norte, com temperaturas a rondar os 20 graus negativos…

 

Corredor de Ultratrails, Karim El Hayani é um amante do “barefoot running”, que permite o contato direto entre o atleta e o solo, o que faz com que os nossos pés estejam adaptados a correr em qualquer tipo de terreno. No máximo, este marroquino com nacionalidade espanhola desde 2015 admite correr com sapatilhas minimalistas, mas jamais com os tradicionais ténis de corrida.

No seu curriculum, El Hayani já tem alguns triunfos significativos, como a vitória na Javelina Jundred 2015, corrida de 100 milhas no deserto do Arizona, com temperaturas a rondar os 40º C (com o tempo de 9h29, é o mais jovem a ganhar a prova). Dois meses antes tinha corrido 250 km na Turquia…

Hoy damos un salto más a mi adaptación unas series a – 28 C descalzo 😊 Este año no tengo como objetivo ninguna carrera, pero si estoy más motivado que nunca para conseguir un sueño que llevo años soñando, En ser el primer atleta en correr un maratón en polo norte descalzo donde temperaturas como – 40 C en invierno es algo normal, no estoy ni la mitad de en forma pero me esperan un meses para adaptarme a estas temperaturas, sé que se puede con mucho entrenamiento a temperaturas extremas, Este sueño no me va dar ni una medalla, ni subir a lo más alto del podium, ni un título, tengo muchas ganas de hacerlo porque no paro de pensar en ello cada día que entreno no me dará nada material pero si lo consigo seré el atleta más feliz del mundo. Y donde será el evento ? Ya llevo unos meses organizándolo nada más y nada menos que en la capital mundial de los osos polares, Churchill Manitoba mes del evento Noviembre de 2019. 💪💪

Publicado por Karim El Hayani em Sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Agora, aos 24 anos, El Hayani tem um novo desafio, um desafio que considera o maior da sua carreira: correr, em novembro, a The Polar Bear Marathon, em Churchill, Manitoba, no Canadá, uma prova onde é normal avistar ursos polares, por exemplo. Os corredores, nessa prova, correm a temperaturas que rondam os -20° C, embora a sensação térmica alcance, por vezes, de -27°C…

À imprensa espanhola, El Hayani revelou que está bastante motivado e que será o atleta mais «feliz do mundo» se concluir o seu desafio. Um desafio que muitos acreditam ser impossível de se concretizar sem sofrer nenhuma mazela…

LEIA TAMBÉM
Da corrida com sapatilhas para a corrida descalço: como foi o processo de adaptação de Bruno Martins

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos