Carla André: «Venho apaixonada pelo Death Valley!!!»

carla1

Após passar mais de 44 horas no Vale da Morte, Carla André já teve tempo para escrever algumas palavras sobre a sua experiência na Badwater 135. E a verdade é que já pensa no próximo desafio…

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado! 

 

Como era de esperar, Carla André admite que não foi fácil terminar a Badwater 135, mas, «com esforço, dedicação e fé, conseguimos alcançar o que sonhamos!»

E o sonho da ferente bancária de 36 anos, a primeira mulher portuguesa a alcançar tal feito, correr os 217 km do denominado Vale da Morte, tornou-se realidade após duros e extenuantes 44h35m14, numa prova que, apesar da sua dureza, acabou por marcar a atleta:

«Mas de lá não trago o sofrimento, mas sim a beleza das linhas que Deus traçou na natureza, a imensidão que me envolveu durante dois dias e duas noites, a lua que me iluminou, aquele nascer do Sol…Venho apaixonada pelo Death Valley!!!», escreveu na sua página do Facebook.

Carla André deixou inclusive uma mensagem a todos, que não desistam dos seus sonhos, que lutem por ele, pois só assim é possível alcançá-los.

«E encham a vida de sonhos porque são eles que dão cor a vida, esta vida cheia de luta e muitas vezes sofrimento, dificuldades… Não importa que sonho seja, mas sonhem e lutem por ele com força!!!!»

carla

Eis a declaração que Carla André “postou” na sua página do Facebook, na íntegra:

«I caught the Badwater Dream!!!

O Sonho comanda a vida e a Fé move montanhas!! Descobri que não há natureza inóspita, depende dos olhos que a veem e da alma que a sente!

Só assim foi possível terminar o mais difícil desafio a que me propus, 217km, temperaturas acima de 50 graus, tempestade de areia, e muito mais…

Mas de lá não trago o sofrimento, mas sim a beleza das linhas que Deus traçou na natureza, a imensidão que me envolveu durante dois dias e duas noites, a lua que me iluminou, aquele nascer do Sol…Venho apaixonada pelo Death Valley!!!

Destes sonhos trago também lições que transporto para a vida, para o trabalho, para tudo… com esforço, dedicação e fé, conseguimos alcançar o que sonhamos! E encham a vida de sonhos porque são eles que dão cor a vida, esta vida cheia de luta e muitas vezes sofrimento, dificuldades… Não importa que sonho seja, mas sonhem e lutem por ele com força!!!! E rezem, porque Ele ajuda-nos a superar tudo e dá-nos aquelas últimas forças que achamos não ter!

Mas o sonho só foi possível graças à Equipa que levei comigo, unidos pelo coração, sangue e amizade, levaram-me ao colo nesta dura travessia!!!

Transformaram o calor em frio, a tempestade em paraíso, a noite em dia e o sofrimento em alegria! Para vocês Hugo, Paulo e Tun, OBRIGADA do fundo do coração!!!!! Este sonho é vosso também!!!

Obrigada também por todo o carinho dos meus amigos, mensagens de força e por acreditarem nos meus sonhos!!! Vocês inspiram-me!!!

E obrigada aos apoios que me ajudaram neste caminho!

SNTQB – principal patrocinador dos sonhos!!!
Tranquilidade Vida
Compressport Portugal
Gabinete de Fisioterapia e Desporto
Holmes Place Quinta da Beloura
Treino – João Mota
Até ao próximo sonho!!!!!!»

LEIA TAMBÉM:

Carla André é a primeira portuguesa a terminar uma das provas mais duras do Mundo segundo a National Geographic

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos