Argentino pretende correr 5.140 quilómetros seguidos

rota40c

Rodolfo Rossi, de 39 anos, vai correr a Argentina de ponta a ponta, concretamente entre La Quiaca e Ushuaia. No total, 5.140 quilómetros em cerca de dois meses. A aventura de correr a «La Ruta 40», uma das mais extensas do Mundo, começa no dia 17 de agosto.

 

Se gostou deste artigo, seja nosso amigo e partilhe pelos seus amigos no Facebook

 

rota40aRodolfo Rossi tem como melhor tempo na Maratona 2h33, representou a Argentina nos Mundiais de Ultramaratona de Taiwan e Qatar, foi campeão argentino de 100 km, sustenta o recorde sul-americano das 24H na passadeira/esteira (212 km) e tem cerca de 25 anos de carreira.

Próximo de fazer 40 anos, decidiu correr a «La 40», «La Ruta 40», 5.140 quilómetros que atravessam a Argentina de Norte a Sul, um percurso que passa por 236 pontes, 11 províncias e três capitais de províncias, além de Parques Nacionais e Reservas Naturais. Estrecho de Magallanes, Patagonia, Quebrada de Humahuaca, Ischigualasto, Talampaya, Cueva de las Manos, Ruta de los Siete Lagos e Glaciar Perito Moreno serão apenas alguns dos locais que Rossi passará caso consiga terminar o seu projeto. O ponto mais alto encontra-se em Abra de Acay, Salta, a 4952 metros.

«O maior atrativo de “La 40” está na fabulosa diversidade de paisagens, histórias e culturas», refere Rossi na sua página do Facebook.

Evidentemente que o denominado projeto «Corre 40» será o principal desafio da carreira de Rossi, embora seja um repto que está a ser há muito preparado pela sua equipa.

O argentino salienta que, quem desejar, poderá correr ao seu lado nas diversas etapas, sendo que cada uma terá entre 72 e 84 quilómetros por dia (vários grupos de corredores estão a ser formados e já confirmaram que correrão ao seu lado). Rossi acredita que este projeto poderá ficar concluído em dois meses e 15 dias, no máximo.

rota40bDe referir que «Correr 40» tem como objetivo uma missão solidária. Por cada quilómetro corrido, três Organizações Não Governamentais serão apoiadas pelas empresas envolvidas no projeto, concretamente a “Fundación Ruta 40”, a “Fundación Desarrollo a través del Deporte” e a “Beca Abanderados Argentinos de la Universidad de San Andrés”. O intuito é apoiar instituições educacionais que promovem a igualdade de oportunidades.

«Corre 40» está a levantar um enorme interesse na Argentina, mas também na América do Sul, sendo declarado inclusive um projeto de Interesse Turístico Nacional pelo Ministério de Turismo da Argentina.

«Juntos correremos a Rota 40 no dia 17 de Agosto. Eu com as pernas, vocês com a força. Unidos pela distância», é o lema de Rossi.

rota40

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos